A Falange Vermelha e o Primeiro Comando da Capital

O que podemos aprender com a entrevista de José Carlos Gregório, o Gordo da Falange Vermelha, e qual a influência dessa protofacção no Primeiro Comando da Capital.

arte sobre foto de José Carlos Gregório da Falange Vermelha

Os fundadores da Falange Vermelha devem estar olhando aqui para baixo (ou para cima, quem sabe?) orgulhosos do Primeiro Comando da Capital, que se não é a facção primogênita da Falange, é seu dileto varão.

Há mais de quatro décadas os fundadores, reunidos no Instituto Penal Cândido Mendes, conhecido como Presídio da Ilha Grande, em Angra dos Reis, lançaram as bases das facções criminosas contemporâneas, que hoje movimentam entre 3,5% e 10% do PIB.

Desenterro entrevista de José Carlos Gregório, o Gordo, reproduzida pelo Canal Histórias Daki. Gravada há mais de 25 anos, está no meio do caminho, entre o antigo mundo do crime no Brasil e o atual modelo brasileiro de organização criminosa transnacional.

Esse novo modelo foi forjado após intelectuais, ex-guerrilheiros políticos e membros de grupos armados que se contrapunham ao Governo Militar serem jogados no Presídio da Ilha Grande, onde o Gordo e outros criminosos comuns estavam presos.

Vavá da Luz “em um texto recheado com o vocabulário e jargões da extrema direita”, me lembrou que o jornalista Carlos Amorim relatou no “O assalto ao poder e a sombra da guerra civil no Brasil” uma fala de Alípio de Freitas sobre sua atuação nas prisões:

“Tudo o que os intelectuais queriam era resistir ao sistema penal. No meio, os presos comuns iam aprendendo a se organizar. (…) Depois, os intelectuais foram embora e deixaram a semente. Os outros se apoderaram.”

“Tenho poder de organização. Organizo grupos por onde ando. Fiz isso em todas as prisões por onde passei. Não me arrependo. Perguntem à polícia por que um grupo de malfeitores se apoderou na cadeia dos princípios da organização dos presos políticos. Primeiro, nos misturaram alegando que ambos assaltávamos bancos. Depois, mataram na cadeia todas as lideranças entre os presos comuns, os que estudaram conosco. Pensavam com isso desmantelar o CV ou o PCC. Mas deixaram os bandidos, a cadeia entregue à bicharada, unida à polícia corrompida.”

Trechos da entrevista de José Carlos Gregório, o Gordo

“Esses novos hóspedes, diferente de nós, sabiam o que era uma família, eram mais estruturados, mais educados, e viviam os dois lados: o criminoso e o da sociedade. Esses caras assistiam a tudo aquilo que acontecia dentro do presídio e chegaram para nós e disseram que os crimes que eram praticados pelos funcionários e também pelos próprios presos contra outros presos tinham que acabar.”

CONCEITO E IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA
Estatuto do PCC, artigos 7º, 16º e 17º
Cartilha de Conscientização da FAMÍLIA 1533

“Quando eles tinham uma banana, eles dividiam a banana e alimentava todo mundo, e nós fomos vendo como eles faziam e aprendemos. […] E foi aí que começou a surgir essa organização, começando a se organizar dentro da cadeia, para depois transpor o muro da prisão e chegar aqui fora.”

A LUTA PELO FIM DA OPRESSÃO CARCERÁRIA
Estatuto do PCC, artigo 4º e 18º e
Cartilha do PCC (11 citações)

Gregório conta que no início as facções se ocupavam de organizar ações e não possuíam chefia, sendo apenas um fórum de mediação entre criminosos: “cada um cuidava da sua vida, decidindo se iam ou não assaltar algum lugar e como fariam isso, eram um grupo de pessoas que são amigos, são uma família, que se unem”.

NINGUÉM É OBRIGADO A ENTRAR OU PERMANECER
Estatuto do PCC, artigo 17:

Entretanto, é preciso cumprir as regras, além do que, caso uma missão seja abraçada, não se pode voltar atrás sem cumpri-la — conforme doutrina guerrilheira.

O LEMA É PAZ, JUSTIÇA, E LIBERDADE
Estatuto do PCC, artigo 2º
Cartilha de Conscientização (2 citações)

Gregório conta que o Comando Vermelho foi fundado já com o lema que hoje é adotado pelo PCC:

“O lema do Comando Vermelho é Paz, Justiça e Liberdade:
Paz: é a paz de você viver em paz dentro da cadeia.
Justiça: você faz justiça todos os dias; é você fazer o que o governo não faz, o que quem deveria fazer não faz e, então, você tenta fazer alguma coisa.
Liberdade: é o que todo mundo sabe, sair do presídio a qualquer custo.”

O estudioso Diorgeres de Assis Victorio, do Canal Ciências Criminais, me lembra que originalmente o lema Paz, Justiça e Liberdade era utilizado apenas pelo Comando Vermelho, enquanto o Primeiro Comando da Capital adotou o Liberdade! Justiça! E Paz!”, conforme consta nos primeiros estatutos.

SOBRE ESSE ASSUNTO MAIS DOIS TEXTOS:
Mensagem Oficial do 24º aniversário do PCC 1533
PCC 1533 – 24 anos – Parabéns pelo aniversário!

Autor: Rícard Wagner Rizzi

O problema do mundo online, porém, é que aqui, assim como ninguém sabe que você é um cachorro, não dá para sacar se a pessoa do outro lado é do PCC. Na rede, quase nada do que parece, é. Uma senhorinha indefesa pode ser combatente de scammers; seu fã no Facebook pode ser um robô; e, como é o caso da página em questão, um aparente editor de site de facção pode se tratar de Rícard Wagner Rizzi... (site motherboard.vice.com)

Obrigado por deixar seu relato, ele é muito importante para que eu possa corrigir erros e rumos. Só serão mantido os comentários argumentativos ou com conteúdo considerado relevante, seja apoiando ou refutando fatos ou ideias do texto. Se considerar importante alterarei o texto original citando o crédito para o comentarista.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.