FACÇÃO PCC URUGUAI — ÚLTIMAS NOTÍCIAS

imagem antiga de um arquivista

O Primeiro Comando da Capital é mais presente nas fronteiras de Chuí, Artigas e Rio Branco, enquanto na divisa entre Rivera e Livramento operam gangues locais. — Iván Mourelle para o La Mañana


11 de agosto de 2021

A polícia até que desconfiava que Zorro ou Tuerto, como é conhecido Diogo de la Vega era integrante de um grupo criminoso, mas a forma como ela descobriu que ele, não só era integrante mas no Uruguai era o “Geral do País” da organização criminosa Primeiro Comando da Capital, chegou por uma cena de violência familiar.

Zorro, queira que seu filho aproveitasse a oportunidade do tráfico na fronteira: “Rivera é uma terra fértil ou uma mina de ouro” já que a cidade fica na divisa de Santana do Livramento no Rio Grande do Sul.

O vídeo do espancamento do filho de Zorro por ordem dele foi encontrado no celular de uma mulher apreendido durante a Operação Génere da Brigada Antidrogas da Raviera e abriu um novo leque de investigações.

Graças ao vídeo, Zorro teve 18 meses acrescidos a pena que já estava cumprindo por ter confirmada sua vinculação ao grupo criminoso.— fonte: Guillermo Lorenzo para o El País

30 de junho de 2021

Bacetto, como é conhecido o mafioso Sebastiano Giorgi da ‘Ndrangheta de San Luca, gerenciava a sucursal norte-europeia do tráfico de droga da América Latina para a Europa a partir de seu restaurante a beira de um lago em Überlingen na Alemanha.

Ele é quem forjava o cartel de compradores e distribuidores de cocaína unindo as diversas famílias que formam a ‘Ndrangheta e grupos europeus como: os albaneses e romenos.

Ele também aproximou a ‘Ndrangheta aos cartéis colombiano e mexicano, aos corretores no Paraguai e no Uruguai e amarrou os negócios com o apoio do Primeiro Comando da Capital no Brasil.

Giorgi não negociava diretamente com os integrantes do PCC, Maluferru, como é conhecido o corretor Giuseppe Romeo é quem buscou um intermediador. Conta-se que quando Maleferru chegou ao Brasil veio disfarçado de padre missionário com hábito, chapéu e Bíblia de baixo do braço, mas o acerto acabou sendo fechado no Ristorante It’s Time da Cesare em Rivalta de Torino na Itália com Nicola Assisi e seu filho Patrick. — Cecilia Anesi, Margherita Bettoni e Giulio Rubino para o IRPI Media

29 de junho de 2021

Bozidar Kapetanovic era um dos contatos do Primeiro Comando da Capital com a máfia sérvia do clã formado por ex-militares sérvios e comandado por Darko Šarić.

Até 2009 o grupo mandava embarcava as drogas para a Europa compradas por eles na Colômbia, Bolívia e no Paraguai através dos portos da Colômbia, Argentina e do Uruguai, mas o esquema foi descoberto e a liderança foi presa durante a Operação Brabo.

Em 2016, o Clã Šarić caiu novamente, mas utilizando vários outros portos, mas principalmente o porto de Santos, onde atuava em parceria com a facção PCC que se responsabilizava com o transporte da carga da origem até a boca do embarque.

Bozidar está preso desde então, mas seu advogado tenta anular sua condenação a 23 anos e 6 meses de prisão alegando que ele teve seu direito de defesa prejudicado pelo juiz não respeitou a ordem de apresentação dos recursos.

O Ministério Público tenta barrar a anulação alegando que só seria válida se Bozidar tivesse sido elencado como “réu colaborador”. — site do Dr. Aroldo Murá

24 de junho de 2021

Alberto “Betito” Suárez passou pela universidade do crime na penitenciária uruguaia de Libertad, onde aperfeiçoou suas técnicas de liderança e gerenciamento de organização criminosa com os integrantes do Primeiro Comando da Capital e com Zoran Mihailović Jakšić, chefe da organização criminosa sérvia “América”.

Após ele e seu meio-irmão Ricardo Cáceres, o Ricardito, matar as principais lideranças que lhe faziam oposição, dominou o bairro industrial e operário do Cerro Norte, atua diretamente em La Paloma, Casabó e no bairro de Tobogán, além de fornecer drogas para as maioria das biqueiras de Montevidéu.

A gangue dos irmãos é conhecida como “Los Ricarditos” e possuem algo entorno de 100 integrantes. Foram eles que levara ao Uruguai a “guerra entre facções” como acontece no Brasil, com: ataques aos pontos de drogas e a violenta eliminação dos adversários.

É possível que o Uruguai esteja chegando ao ponto de pacificação por hegemonia de um grupo criminoso como aconteceu em São Paulo com o PCC: em 2020 os homicídios caiu 15% em relação ao ano anterior. — Simon Lopez Ortega para o La Maana .uy

8 de junho de 2021

Rota fluvial usada pelo Primeiro Comando da Capital ligando a Bolívia, o Paraguai, o porto de Santos, até a Europa e África

A principal rodovia que liga a província de Santa Fé ao Paraguai é a hidrovia do rio Paraná-Paraguai, que possui poucos controles em ambos os lados da fronteira e um complexo nível regulatório para controlar as barcaças de soja que ligam os portos paraguaios aos argentinos em geral e Santa Fé em particular.

O Paraguai não é mais, como há uma década, um simples fornecedor de maconha, talvez o melhor do Cone Sul. Hoje o Paraguai também é um peso-pesado na triangulação da cocaína produzida nas regiões bolivianas das Yungas e do Chapare. Esses mercados estão nas mãos dos supergrupos brasileiros do crime organizado Primeiro Comando da Capital (PCC) e do Comando Vermelho, ambos em processo de expansão para o Mercosul. — La Capital

28 de maio de 2021

Três integrantes do Primeiro Comando da Capital do Paraná que voltavam do Uruguai onde foram assaltar, quando numa verificação de rotina da rodovia em Chuí foram flagrados com uma pistola Glock roubada da policia uruguaia e cerca de 2 mil Reais. — MPF-RS

12 de maio de 2021

a prisão de Luis Alberto “Betito” Suárez em Montevidéu

Benito é irmão de El Ricardito, maior traficante uruguaio, que mesmo preso continua a frente da organização criminosa montada por ele. A carreira seguiu o mesmo caminho do Marcola do PCC, que na década de 90 se dedicava a assaltos a bancos e que aproveitando o conhecimento de dentro da prisão entrou para o rendoso negócio do narcotráfico.

Benito é acusado de coordenar as operações na zona oeste de Montevidéu sob as ordens do irmão que está preso e em cuja cela foram encontrados manuais do Primeiro Comando da Capital (PCC). — site Subrayado

8 de junho de 2020

arte sobre foto da fortaleza do Cerro e o símbolo da facção PCC 1533
Militares assassinados na Fortaleza do Cerro

Os ataques aos militares indicam a presença do PCC no Uruguai?
Rícard Wagner Rizzi – faccaopcc1533primeirocomandodacapital.org
→ Uruguai
→ Tráfico Transnacional

Enfim, as autoridades admitem que a organização criminosa Primeiro Comando da Capital atua no Uruguai.

Assim como no Brasil e na Bolívia, a facção PCC 1533 já fechou parceria com gangues locais, e agora coopta ou coage os agentes públicos de repressão e de Justiça através de bombas, ameaças, sequestros, assassinatos ou por uma boa paga (a velha e sempre atual corrupção policial e judiciária).

A apreensão de grandes carregamentos de drogas, oriundos do Uruguai, em diversos portos pelo mundo demonstra que há uma rota alternativa de tráfico para suprir o mercado europeu, evitando o território brasileiro.

5 de junho de 2020

Índice de aprisionamento e mercado de lavagem de dinheiro favorecem o PCC

2 de junho de 2020

Lavagem de dinheiro e altos índices de encarceramento:o PCC agradece o convite

13 de maio de 2020

Promotor de Justiça Jorge Díaz e o PCC

O Primeiro Comando da Capital nas prisões uruguaias
→ Radio Monte Carlo

→ Uruguai
→ Sistema Prisional

O promotor de Justiça Jorge Dias destacou a influência de traficantes estrangeiros nas prisões uruguaias que se transformaram, disse ele, em verdadeiras universidades de narcotráfico, e falou sobre sinais de ação do Primeiro Comando da Capital.

1 de julho de 2018

O combate ao narcotráfico, se houver terá que ser integrado.

María del Rosario Rodríguez Cuitiño no artigo La lucha contra el crimen
organizado y el terrorismo en Uruguay: Un desafío a enfrentar, publicado pela Revista de Estudios en Seguridad Internacional, explica:

Dada a natureza transnacional das ameaças, para prevenir, punir e erradicar o crime organizado, os planos e as respostas devem basear-se na coordenação interinstitucional e nos acordos de cooperação internacional. Neste contexto, apresenta-se como uma questão central e um desafio, acompanhar com atenção as atividades expansivas nos países vizinhos, o maior grupo criminoso do Brasil, o Primeiro Comando da Capital (PCC), sendo essencial a cooperação com esse país para desmantelar futuras operações fronteiriças com o Uruguai.

Como Ramalho (2017) afirma, as receitas do PCC são estimadas em

3 de março de 2018

Jesuitas provícia argentina uruguaya.jpg

Os jesuítas da provícia argentino-uruguaya e o PCC
Site jesuitasaru.org
Organização Criminosa — Combate à facção

Por essa eu não esperava, louvado seja o Senhor…

O site oficial dos Jesuítas (Provícia Argentino-Uruguaya) declarou que…

A intervenção militar no Rio de Janeiro “pode levar a contextos muito desfavoráveis ​​para o quotidiano brasileiro em geral, mesmo em relação aos objetivos que supostamente o justificam. Por exemplo, por um lado, poderia consolidar a posição do principal cartel criminal do país – o Primeiro Comando da Capital (PCC), que tem uma base operacional em São Paulo e enfrenta rivais no Rio de Janeiro, como o Comando Vermelho (CV), com os efeitos expansivo que um crescimento do tipo pode vir a provocar a proliferação de padrões irregulares e / ou corruptos no sistema político e institucional.”

25 de setembro de 2017

La batalla de los narcos em Uruguay

Tráfico de Drogas – Organização Criminosa – Seguridad Urugay

O maior líder de gangue uruguaio teria aprendido as técnicas do Primeiro Comando da Capital,

12 de setembro de 2017

Qué es la mafia calabresa de la ‘Ndrangheta y por qué detuvieron a su jefe Rocco Morabito en Uruguay

Tráfico Internacional de Drogas – “Plataforma Distrito Cero”

A organização criminosa italiana ‘Ndrangheta seria a responsável pela importação para a Europa das drogas comercializadas pelo Primeiro Comando da Capital, a prisão de Rocco Morabito indicaria isso.

11 de setembro de 2017

‘Narcosur’: as conexões da máfia italiana com o PCC e os cartéis latino-americanos

O informativo paranaense continua repercutindo a prisão no Uruguai de Rocco Morabito, ligado a organização mafiosa italiana ‘Ndrangheta, e faz a ligação entre ele e o Primeiro Comando da Capital.

Obrigado por deixar seu relato, ele é muito importante para que eu possa corrigir erros e rumos. Só serão mantido os comentários argumentativos ou com conteúdo considerado relevante, seja apoiando ou refutando fatos ou ideias do texto. Se considerar importante alterarei o texto original citando o crédito para o comentarista.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.