Argentina — PCC 1533 AR

Notícias — PCC 1533 News — Argentina

5 de agosto de 2019

Foto de uma senhora idosa, o governador João Doria tendo ao fundo o mapa da rota de drogas para a África.
A facção PCC e o governador João Doria

A Rota Africana do tráfico de drogas
Ricard Wagner Rizzi → faccaopcc1533primeirocomandodacapital.org
→ Brasil Paraguai Argentina
→ Crimes transnacionais

No entanto, Carolina Sampó, da Universidade Nacional de La Plata, em seu artigo “Tráfico de cocaína entre a América Latina e a África Ocidental”, explica esse esquema internacional que João Dória com seu sorriso “de sem vergonha” afirma ter quebrado.

E tudo se encaixou: a conversa com a senhora, o massacre de Altamira na guerra pela Rota dos Solimões, a afirmação do governador de São Paulo e a morte do garoto, por isso voltei aqui para te falar um pouco mais sobre a Rota Africana no tráfico internacional.

31 de julho de 2019

Em entrevista, a ministra de Segurança Nacional da Argentina, Patricia Bullrich, afirmou que o governo está atento para as tentativas do Primeiro Comando da Capital de dominar o sistema prisional daquele país, como o faz em outros territórios sul-americanos.

A ministra afirma que o combate à facção paulista tem se dado no dia a dia, seja construindo um “serviço prisional sério onde as facções não tenham condições de dominar”, ou com o programa de Serviço Cívico Voluntário, que retira das ruas os “nem-nem” (garotos que nem estudam e nem trabalham), que podem se tornar uma fonte inesgotável de mão de obra para as facções criminosas.

Enquanto isso, no Brasil, o governo aposta na capacidade de extermínio feito pela polícia e no encarceramento em massa dos jovens das periferias.

21 de julho de 2019

Montagem com os símbolos da facção Primeiro Comando da Capital e do grupo terrorista Jezbollah com o mapa da América do Sul ao fundo.
Parceria comercial entre as organizações criminosas

A parceria do Hezbollah e PCC
Gustavo Sierra → Nota 22
→ Argentina
→ Crimes transnacionais

Entre as alegações apresentadas para o governo argentino considerarem a organização criminosa Hezbollah como terrorista está a parceria comercial que esse grupo mantém com o Primeiro Comando da Capital.

O Hezbollah levantam milhões de dólares, lavam o dinheiro nos cassinos de Puerto Iguazú e protegem e dividem negócios com o Primeiro Comando da Capital que faz chegar as drogas pelo rio Paraná para carregá-los nos navios de soja nos portos em torno de Rosario para a Europa e Oriente Médio.

13 de janeiro de 2019

Arte sobre foto com agentes públicos preparam drogas para serem destruídas, e texto "Sistema prisional argentino, a maconha e a superlotação do sistema".
Sistema prisional Argentina caminha para o colapso

As prisões federais argentina caminham para o colapso
InSight Crime → Parker Asmann
→ Argentina
→ Sistema Prisional

A facção brasileira Primeiro Comando da Capital estaria utilizando como base de distribuição de drogas as províncias argentinas de Misiones e Corrientes.

O aumento das apreensões de maconha em 2018 não refletem uma maior capacidade do Estado em combater o tráfico, e sim a expansão das atividades dos grupos criminosos na região.

A política de encarceramento está levando ao colapso o sistema prisional federal argentino, que na região está trabalhando no limite de sua lotação, caminho que parece que será seguido agora pelo Brasil com a federalização se seus criminosos de organizações criminosas.

18 de janeiro de 2019

Juan Ernesto Villamayor e o combate ao crime transnacional

Nações do Cone Sul devem combater juntas o PCC
La Nación → Redação
→ Paraguai – Argentina – Brasil
→ Crimes Transnacionais

O ministro do interior paraguaio Juan Ernesto Villamayor afirmou que:

“Não é um negócio para a administração de Jair Bolsonaro que o crime organizado vá para os países vizinhos, mas desapareça. É isso aí, todos nós temos que colaborar. O que representaria se fossem à Bolívia, Uruguai, Argentina, Peru, se continuassem operando? Temos que trabalhar juntos para erradicá-los “.

Ele acrescentou que o governo deve trabalhar para garantir que o Paraguai não seja um “território” confortável para criminosos, como o Primeiro Comando da Capital (PCC) ou o Comando Vermelho (CV).

“Temos que eliminar a máfia. Este é um esforço que tem sido feito em todo o continente, mas é preciso reconhecer que não houve sucesso ressonante Temos que deixar isso desconfortável para o território paraguaio “.

11 de janeiro de 2019

Tríplice fronteira PCC CV Hezbollah

Explicando em detalhes o tráfico internacional da Tríplice Fronteira
hoy.com → Infobae
→ Paraguai – Colômbia –Bolívia – Argentina – São Paulo
→ Crimes Transnacionais

“Não há relação, como se diz, entre o Hezbollah e o cartel brasileiro do PCC. Não há relação entre o Hezbollah e o crime organizado aqui. Eles nunca apresentaram uma única prova de tudo isso “, diz Fahd Jamil Georges.

O jornalista Galeb Moussa também afirma que é difícil acreditar que o Hezbollah tenha ligação com o tráfico e as facções criminosas, pela natureza do movimento religioso radical, que preza acima de tudo a ética.

“Só pensando que eles podem aceitar dinheiro que vem do ilegal, como eles também os acusaram com a questão do tráfico de drogas e todo esse tipo de problemas, eu percebo imediatamente que é uma mentira, porque eles cuidam do extremo o que é legal em todos os sentidos, desde comida lícita a dinheiro lícito até ações legais, eles têm uma ética moral, tanto militar quanto pessoalmente, impecável.”

No entanto, a reportagem da Infobae traça um histórico do envolvimento das facções brasileiras nos crimes transnacionais a partir do Paraguai e os depoimentos de autoridades que apontam no efetivo envolvimento do PCC com o grupo criminoso Hezbollah e a distribuição de drogas pela Europa e Ásia.

2 de janeiro de 2019

Esquema envolveu uma organização criminosa argentina.

Roubaram 2,2 milhões de dólares da facção PCC
→ RedUno → Diego Seas
→ Bolívia – Argentina
→ Organização Criminosa

Denver Pedraza preferiu procurar a polícia depois que roubaram 2,2 milhões dos oito milhões de dólares que seu sobrinho guardava para o Primeiro Comando da Capital, mas a ação policial deixou o advogado desconfiado, eles apagaram as pistas deixadas pelos ladrões e o principal suspeito fugiu pelo duto de ventilação de um escritório da Força Especial de Combate ao Crime (FELCC) para onde tinha sido levado para dar declarações.

O advogado e funcionário público Denver Pedraza alegou que um de seus sobrinhos havia sido cooptado pela facção paulista para guardar o dinheiro em sua casa, e que seu outro sobrinho Kevin Suen Pedraza se associou a uma organização criminosa argentina para roubar o dinheiro que ele sabia onde era guardado.

A polícia boliviana identificou parte da quadrilha que roubou o Primeiro Comando da Capital: Regue Reimi Peinado Arauz, Martín Alejandro Agustoni Cuestas, Roxana Vidal Bruno, Jorge Parada Mendoza, Bruna Giomara Vidal, Deisa Jeni Fernández Cuéllar, além de um outro apenas conhecido como ‘Negro’ .

A polícia apresentou apenas 58 mil dólares, alegando que apenas conseguiu recuperar esse dinheiro, mas apreendeu veículos que haveriam sido comprados com o butim.

2 de março de 2018

Jesuitas provícia argentina uruguaya.jpg

Os jesuítas da provícia argentino-uruguaya e o PCC
Site jesuitasaru.org
Rio de Janeiro — Uruguai — Argentina — Organização Criminosa — Combate à facção

Por essa eu não esperava, louvado seja o Senhor…

O site oficial dos Jesuítas (Provícia Argentino-Uruguaya) declarou que…

A intervenção militar no Rio de Janeiro “pode levar a contextos muito desfavoráveis ​​para o quotidiano brasileiro em geral, mesmo em relação aos objetivos que supostamente o justificam. Por exemplo, por um lado, poderia consolidar a posição do principal cartel criminal do país – o Primeiro Comando da Capital (PCC), que tem uma base operacional em São Paulo e enfrenta rivais no Rio de Janeiro, como o Comando Vermelho (CV), com os efeitos expansivo que um crescimento do tipo pode vir a provocar a proliferação de padrões irregulares e / ou corruptos no sistema político e institucional.”

12 de fevereiro de 2018

fc42e-dea2bdrug2benforcement2badministration

Americanos vão montar base na fronteira para monitorar o PCC
Redação → Vanguardia
Argentina Brasil — Organização Criminosa — Política
Há suspeitas de que a facção PCC 1533 operaria em conjunto com o Hezbollah no tráfico de drogas, aquisição de armas e financiamento do terrorismo, disseram as informações publicadas nessa ocasião pela mídia brasileira. As ações do Primeiro Comando da Capital nas três fronteiras mobilizaram instituições americanas, como o FBI (serviço de inteligência) e a DEA (agência antidrogas) em direção às três fronteiras. Ao longo dos anos, o PCC, além de reforçar sua presença em seu país de origem, o Brasil, expandiu-se para outros, como o Paraguai. As investigações envolvem o grupo criminoso com células terroristas como o Hezbollah, uma situação que gerou alerta internacional e fez com que as agências dos EUA atinjam mais atenção nesta região do continente.  As investigações mencionam que o PCC operaria com o apoio do referido grupo terrorista em termos de tráfico de drogas, troca de informações e aquisição de armas..

30 de janeiro de 2018

PCC1533 Lobos solitários em Corrientes e Missiones no Paraguai

Corrientes e Misiones — terra dos lobos solitários do PCC 1533
site nortecurrientes.com
Argentina — Tráfico internacional — Organização Criminosa
O site destaca reportagem do La Nacion citando nomes e ação do Primeiro Comando da Capital na região norte-argentina.

29 de janeiro de 2018

PCC 1533 internacional

PCC e CV estão de malas prontas para ir para Argentina
reportagem especial de Germán de los Santos para o site La Nacion
Argentina — Brasil — Paraguai — Bolívia — Peru — Organização Criminosa — Tráfico internacional
O jornalista faz um retrospecto das ações do Primeiro Comando da Capital e do Comando Vermelho no país, aponta o atual estágio, e a perspectiva das futura ações.