PCC e a Grilagem Urbana: Crise Habitacional e um Bom Negócio

PCC e a grilagem urbana em São Paulo

PCC e a grilagem urbana: descubra a conexão entre o crime organizado e a crise habitacional em São Paulo neste artigo revelador do Al Jazeera.

PCC e a grilagem urbana: o papel do crime organizado

A longa crise habitacional de São Paulo foi agravada pela pandemia e pelo aumento do custo de vida, resultando em assentamentos precários. Devido a isso, áreas protegidas de Mata Atlântica têm sido desmatadas, provocando preocupação entre ambientalistas. Além disso, a facção PCC 1533 tem explorado a situação em benefício próprio.

O Primeiro Comando da Capital lucra com a grilagem urbana. Esse negócio imobiliário ilegal cresce em áreas de proteção ambiental de São Paulo, onde ocorrem mais de 160 casos de ocupações irregulares. A corrupção e a falta de recursos da prefeitura contribuem para esse problema.

Além disso, as ocupações ilegais diferem dos movimentos organizados de moradia, que visam pressionar por moradias mais acessíveis. O PCC, juntamente com fiscais corruptos e fraudadores, tem se especializado em grilagem, falsificando escrituras de terras públicas. Essa prática criminosa não seria possível sem a participação da corrupção.

Em uma ocupação ilegal ligada ao Primeiro Comando da Capital está localizada na zona leste de São Paulo, onde houve uso de motosserra e fogo para desobstruir a área. O poder público lento permite que o crime organizado ocupe o lugar do Estado, que se mostra ausente.

A especulação imobiliária criminosa é o problema mais grave enfrentado pelas áreas de proteção ambiental de São Paulo. Há ocupações com infraestrutura urbana e investimento de capital. No ano passado, mais de 30 operações especializadas foram realizadas nessas áreas protegidas.

O PCC e a grilagem urbana andam juntas e têm se aproveitado agravamento da crise habitacional de São Paulo e pelo aumento do custo de vida. O desmatamento de áreas protegidas e a corrupção são desafios significativos a serem enfrentados.

A organização criminosa paulista aproveita da lentidão do poder público, para tornar-se um substituto para o Estado ausente e tornando esse um negócio atraente para seus integrantes.

texto base: Illegal forest occupations have also been leveraged to generate profits and launder money for the First Capital Command

Autor: Ricard Wagner Rizzi

O problema do mundo online, porém, é que aqui, assim como ninguém sabe que você é um cachorro, não dá para sacar se a pessoa do outro lado é do PCC. Na rede, quase nada do que parece, é. Uma senhorinha indefesa pode ser combatente de scammers; seu fã no Facebook pode ser um robô; e, como é o caso da página em questão, um aparente editor de site de facção pode se tratar de Rícard Wagner Rizzi... (site motherboard.vice.com)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: