Ficou barato para os envolvidos no caso do sequestro do avião

Integrante do Primeiro Comando da Capital preso falso sequestro de avião

Ao que tudo indica, acabou em pizza o caso do piloto Edmur e seu comparsa Adevailson que forjaram um falso sequestro para levarem alguns homens para a fazenda na Bolívia do primo de Marcola, líder do Primeiro Comando da Capital.

Em junho de 2019 em Paranaíba no Mato Grosso do Sul e Renata Portela como contou ao MidiaMax:

Homens armados foram até a casa de Edmur, o renderam e foram ao hangar. Lá, renderam um servidor do aeroporto e levantaram voo em direção ao Paraguai. Depois, supostamente, Edmur teria sido obrigado a pilotar até a San Rafael na Bolívia e de lá escapou com o avião, pousando no Mato Grosso.

A juíza do caso disse que não tem prova alguma contra o funcionário do aeroporto; Adevailson foi condenado a 3 anos e 6 meses, mas como tem 80 anos não ficará preso; e o piloto Edmur foi condenado por comunicação falsa de crime, atentado contra a segurança de transporte aéreo e furto qualificado, o que soma 4 anos e 10 meses que na prática…

Autor: Wagner Rizzi

O problema do mundo online, porém, é que aqui, assim como ninguém sabe que você é um cachorro, não dá para sacar se a pessoa do outro lado é do PCC. Na rede, quase nada do que parece, é. Uma senhorinha indefesa pode ser combatente de scammers; seu fã no Facebook pode ser um robô; e, como é o caso da página em questão, um aparente editor de site de facção pode se tratar de Rícard Wagner Rizzi... (site motherboard.vice.com)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: