Começou com uma briga entre mulheres e acabou noiando o K9

A cara do K9 Baruk não nega, ele cheirou todas: mais precisamente 50 quilos de maconha em tabletes com um aroma especial de naftalina que foi colocado para diminuir a maresia.

A noiada de Baruk só foi possível porque uma mulher resolveu partir no braço com uma companheira do Primeiro Comando da Capital e para não tomar uma invertida da irmandade estava levando as malas com as drogas do Rio de Janeiro para Palmas no Tocantins, mas foi pega no caminho, em Cristalina em Goiás. — Matheus Garzon para o Metrópoles

Autor: Ricard Wagner Rizzi

O problema do mundo online, porém, é que aqui, assim como ninguém sabe que você é um cachorro, não dá para sacar se a pessoa do outro lado é do PCC. Na rede, quase nada do que parece, é. Uma senhorinha indefesa pode ser combatente de scammers; seu fã no Facebook pode ser um robô; e, como é o caso da página em questão, um aparente editor de site de facção pode se tratar de Rícard Wagner Rizzi... (site motherboard.vice.com)

Deixe uma resposta

%d