Por pouco não se consuma uma fuga recorde do PCC PY

Há 20 anos, em novembro de 2001, o Primeiro Comando da Capital planejou e executou a sua maior fuga: 108 escapam na maior fuga do Carandiru.

Fora do Brasil, na maior fuga, 75 se evadiram em janeiro de 2020 da Penitenciária de Pedro Juan Caballero.

A meta era bater o recorde nessas  Olimpíadas: seriam em uma única fuga 130 integrantes da facção que estavam presos do Centro de Rehabilitación Social (Cereso) na cidade de Encarnación, no departamento de Itapú no Paraguai.

Mas não foi dessa vez: duas semanas antes, os agentes já tinham recebido a informação de sua existência, mas não estavam conseguindo localizá-lo — uma infiltração e rachaduras acabaram por denunciar o local.

O túnel tinha 3 metros de diâmetro para possibilitar uma fuga rápida para as montanhas próximas.

Fim do túnel e presos ficaram no pátio. Quem veio a público para dar explicações foi ninguém menos que a Ministra da Justiça do Paraguai Cecilia Pérez. — La Nación

Autor: Wagner Rizzi

O problema do mundo online, porém, é que aqui, assim como ninguém sabe que você é um cachorro, não dá para sacar se a pessoa do outro lado é do PCC. Na rede, quase nada do que parece, é. Uma senhorinha indefesa pode ser combatente de scammers; seu fã no Facebook pode ser um robô; e, como é o caso da página em questão, um aparente editor de site de facção pode se tratar de Rícard Wagner Rizzi... (site motherboard.vice.com)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: