Polícia Civil tenta conter guerra entre facções prendendo um dos lados

O delegado geral Luccy Keiko do Piauí descobriu o que ninguém sabia: a maioria dos que estão morrendo por morte violenta na guerra entre as facções criminosas estado são… criminosos envolvidos em facções criminosas.

Para evitar que fossem mortas, resolveu colocá-las atrás das grades e deflagrou a Operação Contraordem III, afinal, se os criminosos ligados as facções estão sendo mortos nas ruas, talvez a melhor forma de protegê-los é colocando-as atrás dos muros dos presídios — deve ter sido esta a conclusão do delegado.

Foram emitidos pela Justiça vinte e quatro mandados de prisão no Piauí e no Mato Grosso do Sul contra integrantes da facção PCC, sendo que sete já estavam presos, restando capturar catorze.

Após fazerem buscas em Teresina, Floriano, Castelo do Piauí e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul e não localizarem os integrantes do PCC, a polícia publica o nome e as fotos dos sete procurados: Kelson Ferreira de Freitas, Gabriel Mateus das Neves Pereira, Davi de Sousa, Lindomar Antônio Barbosa, Lucas Raynam Morais Ramos, Victor Jorge da Silva Bisauchet e Gabriel da Silva Costa. — fonte: Geyson Morais para o GP1

É delegado, já deve estar sentido saudades dos tempos em que imperava no Piauí a paz imposta pelo Primeiro Comando da Capital: sem mortes nos noticiários e com a taxa de de homicídios caindo e afirmando que o estado estava mais seguro graças ao seu bom trabalho. Bons tempos, né não? — fonte: São Miguel Agora

Autor: Wagner Rizzi

O problema do mundo online, porém, é que aqui, assim como ninguém sabe que você é um cachorro, não dá para sacar se a pessoa do outro lado é do PCC. Na rede, quase nada do que parece, é. Uma senhorinha indefesa pode ser combatente de scammers; seu fã no Facebook pode ser um robô; e, como é o caso da página em questão, um aparente editor de site de facção pode se tratar de Rícard Wagner Rizzi... (site motherboard.vice.com)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: