Cantar o Hino do PCC não pode na prisão, diz TJ-SP

Tribunal de Justiça de São Paulo nega que presos tenham o direito de cantarem o Hino do Primeiro Comando da Capital e, aqueles que o fazem, podem ser punidos com a perda de 1/3 dos dias remidos até a data da infração.

Wandeson e outros presos, durante o procedimento de entrada de visitantes entoaram o hino da facção PCC 1533. A direção deu ordens para que os funcionários retirassem os internos do pátio e os recolhessem no Regime Diferenciado de Cela RDC, mas ele e os colegas se resistiram:

Daqui ninguém nos tira, aqui é o Primeiro Comando da Capital, se mexer com nós, vamos matar esses vermes, PCC 1533, esse é nosso grito de guerra.

O TJ-SP considerou que ao cantar o hino os presos exaltavam a facção criminosa, fazendo “apologia ao crime, divinizando seus membros e mandamentos e, com isso, a fortalecendo, em atitude deveras perniciosa à sociedade”. — fonte: TJ-SP

Autor: Wagner Rizzi

O problema do mundo online, porém, é que aqui, assim como ninguém sabe que você é um cachorro, não dá para sacar se a pessoa do outro lado é do PCC. Na rede, quase nada do que parece, é. Uma senhorinha indefesa pode ser combatente de scammers; seu fã no Facebook pode ser um robô; e, como é o caso da página em questão, um aparente editor de site de facção pode se tratar de Rícard Wagner Rizzi... (site motherboard.vice.com)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: