Operação Coalizão do Bem e o resgate de Marcola

O governador de São Paulo, João Dória, deve muito ao presidente Bolsonaro.

Já se passaram dois anos e quatro meses da transferência de Marcola e de outros líderes do Primeiro Comando da Capital para os presídios federais, tirando o risco de desgaste e um ataque do PCC no estado e o custo da manutenção desses presos.

Bolsonaro conseguiu holofote na mídia na hora da transferência, mas sem resultado esperado — a facção continua tão atuante quanto antes devido a sua organização celular.

Além custo da manutenção em presídios federais, o governo central tem que manter efetivos militares de “Garantia da Lei e da Ordem” para reforçar a segurança e mesmo assim corre riscos.

A prisão em Brasília de Lucirne Silva Conceição é prova disso. Ele, que é um dos responsáveis pela chacina dos CVs no Amazonas, estaria planejando o resgate das lideranças do PCC, mas acabou sendo preso durante a Operação Coalizão do Bem. — Mirelle Pinheiro para o Metrópoles

Autor: Wagner Rizzi

O problema do mundo online, porém, é que aqui, assim como ninguém sabe que você é um cachorro, não dá para sacar se a pessoa do outro lado é do PCC. Na rede, quase nada do que parece, é. Uma senhorinha indefesa pode ser combatente de scammers; seu fã no Facebook pode ser um robô; e, como é o caso da página em questão, um aparente editor de site de facção pode se tratar de Rícard Wagner Rizzi... (site motherboard.vice.com)

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: