PCC 1533 — Insights

Cada um vê a facção Primeiro Comando da Capital de uma forma diferente. O que é a Família 1533 e o como a sociedade deve se relacionar com esse fenômeno social?

O que pensa…

Karina Biondi frases sobre a facção pcc 1533.jpgKarina Biondi—  janeiro 2018 — pesquisadora PCC

“Desde as primeiras manifestações do PCC, as autoridades têm tentado para destruí-lo. Mas os remédios usados contra PCC são exatamente os que fazem crescer: mais encarceramento, sentenças mais longas, um recrudescimento do tratamento de prisioneiros, outras restrições, transferências e isolamento de suspeitos líderes.”

“Em São Paulo, em função de sua hegemonia, o Primeiro Comando da Capital (PCC) se tornou sinônimo de crime. Mas crime, aqui, não se restringe a atividades que afrontam o Código Penal. Crime, nas prisões e nas quebradas de São Paulo, diz respeito a uma forma de condução da existência.”

O que pensa…

Camila Caldeira Nunes Dias PCC.jpgCamila Caldeira Nunes Dias — fevereiro 2018 —  Núcleo de Estudos da Violência da USP (NEV-USP)

“O PCC é de fato uma organização com estrutura própria: ele tem lideranças, chamadas de “sintonias”, tem mecanismos de controle social muito forte sobre os seus integrantes. Você olhando para a estrutura, para a forma como o PCC se ajusta e como essas dinâmicas acontecem, eles têm uma unidade. O PCC é como se fosse uma empresa: tem uma matriz que fica em São Paulo e filiais no Brasil inteiro.

O que pensa…

Leonardo Sá UFC LEV.jpgLeonardo Sá — fevereiro 2018 —  Laboratório dos Estudos da Violência (LEV)

“São essas zonas na periferias (áreas em abandono social com jovens sem trabalho e renda) que se tornaram os principais campos da morte. O PCC também recruta esse perfil, mas não é a prioridade. Eles estão recrutando jovens de classe média, estão mais preocupados com a lucratividade e inserção em locais desta classe.”

O que pensa…

Rafael Saliés frases sobre a facção pcc 1533.jpgRafael Salies — fevereiro 2018 —  diretor das Southern Pulse

O PCC é um grupo ousado, que tem uma administração do tipo MBA e o tipo de determinação só visto naqueles profundamente envolvidos em odiar o sistema

O que pensa…

Graham Denyer Willis frazes da facção pcc 1533.jpgGraham Denyer Willis — fevereiro 2018 —University Lecturer in Development and Latin American Studies in the Department of Politics and International Studies

O PCC é uma organização tão grande que, se você tentar eliminá-lo, você criará uma enorme quantidade de violência

“O PCC nasceu porque o sistema político deixou muitas pessoas em estado de abandono, então elas tiveram que criar alguma solução.”

“A regulação do PCC é o principal fator sobre a vida e a morte em São Paulo. O PCC é produto, produtor e regulador da violência”

“O PCC fica violento quando o problema é a repressão ao tráfico, por exemplo, mas quando sentem a sua segurança ameaçada. E a resposta da polícia é ser mais violenta, o que fortalece a ideia entre criminosos de que precisam de proteção. Ou seja, quanto mais você ataca o PCC, mais forte ele fica.”

O que pensa…

Sérgio Adorno e a facção PCC 1533Sérgio Adorno — fevereiro 2018 — coordenador científico do Núcleo de Estudos da Violência (NEV) USP

“O cartel atravessou as muralhas da prisão e hoje controla muitos dos bairros pobres de São Paulo. O PCC tem um poder quase absoluto lá e estabeleceu regras de convivência: por exemplo, você não pode matar sem sua autorização. É por isso que se tornou relativamente silencioso em São Paulo. Algumas pessoas dizem que o PCC trouxe a paz para seus bairros. Essa força também significa que o PCC não é apenas um simples grupo de criminosos para controlar. Pode ser muito longe para falar de estruturas como a máfia italiana, mas tem havido uma tremenda quantidade de profissionalização. Se você olhar para suas contas publicadas no decorrer de uma investigação, você pode ver que eles não são amadores.” “El PCC es una organización tan grande que si intentas eliminarla, vas a crear una cantidad enorme de violencia”

O que pensa…

Frederico Vasconcelos - reporter da Folha de São PauloFrederico Vasconcelos —  janeiro 2018 — reporter da Folha de São Paulo

“A intensificação da globalização e o incremento das atividades de organizações criminosas transnacionais no Brasil, do exterior para cá e a partir de nosso território (como faz o PCC), tornam urgente a regulamentação de modernas ferramentas de persecução internacional e de regras mais flexíveis para cooperação nas fronteiras, no âmbito regional. … A MSC 185/2017 é um exemplo de regulamentação necessária. Neste campo também precisamos de menos cartórios e de menos burocracia, em prol da celeridade e da eficiência” .

 

Caso tenha opinião sobre esse artigo, por favor compartilhe.