Arquivo de Notícias — PCC 1533 — dezembro de 2020

As principais notícias sobre a facção PCC 1533 Primeiro Comando da Capital no mês de dezembro de 2020.

17 de dezembro de 2020

Facção PCC 1533 e a metodologia do caos

Uma única espécie de vírus pode possuir milhares de cepas com estruturas muito diferentes entre si, e quando os infectologistas obtêm sucesso no combate de um grupo, outros tantos lhes serão imunes, e estarão se disseminando e evoluindo — e assim é com o Primeiro Comando da Capital.

O louvável sucesso alcançado pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP) no combate à estrutura da facção criminosa teve um impacto positivo para a sobrevivência, a longo prazo, da organização ao impedir que ela tivesse uma estrutura uniforme, e assim como o bambu: verga, mas não quebra. (leia o artigo completo)

14 de dezembro de 2020

Marcos Alan Shaikhzadeh Vahdat Ferreira

O que podemos concluir sobre o estudo de caso do professor de Relações Internacionais Marcos Alan Ferreira sobre a expansão da organização criminosa Primeiro Comando da Capital…

4 de dezembro de 2020

Maria Alciris Cabral a esposa e gestora do líder do PCC Minotauro

Bem que os advogados tentaram — quebrar a “formação de quadrilha” seria o canal para a saída de Maria Alciris Cabral da prisão. Os defensores arguiram que com a desqualificação de um dos integrantes do grupo, ficaram apenas três envolvidos, quando deve haver no mínimo quatro para o enquadramento, mas a promotoria demonstrou que haviam dezenas de envolvidos e não apenas os três restantes no processo.

O mais interessante, no entanto, não está na defesa em si, mas em um detalhe do processo que demonstra que Minotauro, seu esposo e líder da facção Primeiro Comando da Capital, mantinha negócios com a facção arquirrival Comando Vermelho, tendo entregue um imóvel como pagamento de algum negócio. (reportagem de Renata Portela para o midiamax)

No entanto, cabe lembrar que apesar de Renata Portela afirmar que o Pavão é do Comando Vermelho, pelo que se sabe ele tinha ligação comercial com as duas bandeiras.

3 de dezembro de 2020

Confirmada a participação do PCC no mega assalto de Criciúma

Com a prisão do PCC Buda, Márcio Geraldo Alves Ferreira, terminam as dúvidas se a mega operação criminosa que sitiou a cidade de Crisciúma em Santa Catarina teria sido uma ação da facção criminosa paulista Primeiro Comando da Capital. (Gabriela Clemente e Lilian Lima contam tudo com detalhes)

Departamento de Estado dos EUA e o estudo sobre o PCC

Nos últimos anos, as mudanças econômicas e políticas no Brasil e no Cone Sul da América Latina proporcionaram oportunidades para que as organizações criminosas transnacionais (TCOs) fortaleçam sua presença na região. Em alguns casos, isso incluiu a cooptação de sistemas políticos e instituições do Estado, em que grupos criminosos construíram alianças com atores políticos para facilitar a produção e o movimento de bens ilícitos e para promover os interesses de uma elite reconfigurada. Essa corrupção ameaça minar as jovens democracias da região, que só agora estão entrando em sua segunda geração de política eleitoral. A expansão da presença de TCOs no Brasil e no Cone Sul também impacta negativamente o funcionamento eficaz das economias regionais. Empresas ilícitas que vendem itens falsificados, lavam dinheiro. (continue lendo no american.edu)

Antonio Reis do Santos, o PCC Tonhão de Catanduva é condenado a 41 de prisão

Tonhão era o disciplina responsável pela região de Catanduva e estava envolvido em pelo menos dois homicídios em nome da facção Primeiro Comando da Capital. Ele foi preso com outros 17 envolvidos após uma pessoa que era mantida no cativeiro ter conseguido se evadir. Agora sai a condenação por sua participação na morte de Alexandre Pereira de Souza após o julgamento do Tribunal do Crime: 41 anos de prisão. (Arthur Pazin do Diário da Região conta os detalhes)

A guerra aguardada entre o PCC e a quadrilha de Fahd Jamil não se concretizou

O repórter Hélio Freitas do Campo Grande News chama a atenção para um fato que não ocorreu: mortes causadas pela guerra entre a facção Primeiro Comando da Capital e a quadrilha do Fuad (Fahd Jamil).

Após as mortes da semana passada, as autoridades aguardavam mais ataques do PCC para eliminar por completo os Fuads, atualmente dirigidos por Flavinho Correia Jamil Georges, ou que ele determinasse ações de retaliação comtra a facção paulista, mas nada aconteceu. (leia reportagem completa)

Integrantes do Primeiro Comando Catarinense PGC condenados por matar PCC

Marcelo Balbino Correia foi comprar drogas. Era um cilada armada por integrantes da facção rival Primeiro Comando Catarinense (PGC) para capturar e matar o integrante do Primeiro Comando da Capital.

Após torturarem o rapaz, enrolaram-no em um colchão e colocaram fogo. Por esse crime foram agora condenados a 85 anos de prisão. (reportagem completa no Extra SC)

2 de dezembro de 2020

Mega assalto no Pará teve o mesmo modo operandis de Criciúma.

Cerca de 50 criminosos assaltaram uma agência do Banco do Brasil na cidade de Cametá. A ação começou por volta de meia noite e durou cerca de uma hora e meia. Os assaltantes usavam armas de alto calibre e explosivos. Moradores do local foram feitos reféns, a maioria deles estava em uma praça assistindo a um jogo de futebol quando foram pegos. Os criminosos fizeram os reféns de escudo humano para barrar a polícia e atacaram uma base do 9° batalhão da PM. (leia reportagem completa de Luisa Eller do DCI)

Policiais trabalhando em fazenda de traficante são mortos “levantando a lebre”

Enquanto nas periferias das cidades ou nas regiões centrais degradadas de algumas metrópoles brasileiras policiais esculacham, quando não matam pequenos contraventores, dois policiais são mortos no Paraguai enquanto faziam segurança em uma fazenda pertencente a um traficante.

Não são poucos os agentes que se corrompem e trabalham para o mundo do crime, no entanto, como ficam aqueles que trabalham para empresas que sabidamente pertencem a contraventores.

É comum policiais fazerem segurança em postos de combustíveis e clubes que são lavanderias para o crime organizado, em transportadoras e supermercados famosos no meio policial por desviarem cargas, em comércios legais que também fazem o jogo do bicho.

Inocência ou temos a capacidade infinita de relativizar nossos limites morais? Seja como for, a morte dos dois policiais acabou se provando que não teve ligação com a Guerra entre o PCC e o CV que ocorre na região, foi uma simples ação de ladrões de gado. (conheça o caso)

Cândida Márcia Santana Bispo, conhecida como a “Marcola de Saias

Josmar Jozino conta a história da presa nº 1 do sistema prisional paulista e possivelmente a maior líder das trancas femininas paulista. Foi ela quem protagonizou dentro do presídio a festa pelo aniversário da facção Primeiro Comando da Capital cujo vídeo rodou o mundo. (veja matéria completa)

Penitenciária Federal de Brasília sob proteção da Força Nacional

Após dois anos de governo e de muita bravata, Bolsonaro não conseguiu com sua política de Lei e Ordem enfraquecer a facção paulista Primeiro Comando da Capital.

Se a ação do PCC em Criciúma não foi o suficiente para provar que a organização criminosa continua atuando com todo o seu poder, Mirelle Pinheiro do Metropolis nos lembra que o Ministério da Justiça e Segurança Pública prorrogou por mais três meses o uso da Força Nacional para garantir a segurança do presídio onde Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, líder da facção está preso.

O modus operandi dos criminosos evoluiu, a polícia conseguirá acompanhar?

Muito já se escreveu e ainda muito irá se escrever sobre o mega-assalto de Criciúma, no entanto Guaracy Mingardi do site Terra faz um resumo da evolução do método e deixa um alerta:

“Dá a ideia errônea de que eles são fruto sempre do mesmo grupo. Na verdade, não é bem assim. Os delinquentes profissionais aprendem tanto pela participação nos crimes quanto por meio de conversas, na cadeia ou fora dela. Portanto, o mais provável é que indivíduos que participam de um desses assaltos ganhem know how e passem a montar o próprio grupo de assaltantes. E aí a bola de neve cresce até a polícia também ganhar expertise e parar a avalanche que desponta no horizonte.” (leia matéria completa)

A vida do outro lado da muralha da Cadeia Pública Feminina de Franca

Somos o 4º país do mundo que mais encarcera mulheres. Entre os anos 2000 e 2016, sofremos um crescimento de 700% da massa carcerária feminina no país.

É dentro deste cenário que o documentário Saudade Mundão surge. Em Franca, município brasileiro no interior do estado de São Paulo, as cineastas da obra contam que foram recebidas pelo diretor da unidade prisional sob a condição de autorização das próprias presas.

Depois de uma roda de conversa com dez das 142 internas, e de autorização do PCC (Primeiro Comando da Capital), as filmagens do documentário tiveram início.

Elas relatam que “a liberdade adquirida com essa negociação e a intensidade do curto período que tinham para trabalhar propiciaram muito da intimidade entre equipe e personagens que se testemunha” no filme. (leia a reportagem completa de Sâmia Teixeira ou acesse o filme)

1º de dezembro de 2020

Presidente do Paraguai Mario Abdo Benítez e do Brasil Jair Messias Bolsonaro

O presidente Jair Bolsonaro vai até o Paraguai para falar sobre o combate ao crime organizado: agradece ao seu colega Mario Benítez pelo trabalho feito por sua polícia e Justiça, dá um tapinha nas costas, bate uma foto, mas proposta de ação conjunta ou desenvolvimento de estratégias conjuntas nem pensar — o importante é que a self ficou bolada para ser postada nas redes sociais!

Tudo começou com o parto de uma criança cuja mãe era uma foragida da Justiça e que foi recapturada quando deixava a maternidade.

O empresário que conseguiu a internação está sendo agora investigado e estava para assumir a direção da companhia de ônibus urbana, e controla um conglomerado empresarial incluindo uma concessionária de veículos, um parque aquático e um mercado, seria na realidade um braço da facção criminosa paulista. (matéria completa no G1)

Residência Universitária da UFPB como mocó para drogas e para líder do PCC

Era do interior de uma residência da Universidade Federal de Pernambuco que se realizava a assessoria jurídica dos presos ligados a facção Primeiro Comando da Capital e o local também servia como centro de distribuição de drogas. A operação da Polícia Federal cumpriu 200 mandados nos estados de nos estados de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima, Rondônia, Mato Grosso do Sul e Paraná. Os integrantes desse núcleo desenvolviam planos e ações para conquistar a hegemonia da facção paulista no estado. (matéria completa no blog de Noélia Brito)

O estudante de pedagogia que comandava o esquema na UFPB se reportava ao PCC Pitibul do MS, como conta o repórter Silvio Frias do Campo Grande News:

“A investigação apurou que a liderança presa em Mato Grosso do Sul ainda conseguia dar ordens de dentro do Presídio Federal, por meio de companheira dele, atualmente, foragida.”

Publicada a condenação de Elton Leonel Rumich da Silva, o Galã do PCC

Dessa vez, o Galã foi condenado em Campo Grande a oito anos de prisão por manter empresas de fachada e utilizar laranjas para lavar o dinheiro do crime organizado.

Cuidado ao ler a matéria do jornalista Nyelder Rodrigues do Campo Grande News, e se você não se atentar para o nome do condenado poderá imaginar que se trata das acusações que pesam sobre a família Bolsonaro: transações suspeitas de imóveis, montagem de empresa de fachada…

O PCC David Miguelão terá que enfrentar o Júri pela morte da CV Joice no MS

A garota ficou nervosa ao ter seu chinelo roubado, abriu a boca, para falar besteira: “me respeita que eu sou do Comando Vermelho!” — o que ela não sabia é que estava no ninho dos crias do 15. Foi decapitada depois de julgada pelo Tribunal do Crime do PCC. A morte foi na casa do Miguelão, que alegou que não participou da execução, mas o juiz resolveu deixar para o Tribunal do Juri decidir. (Thatiana Melo do Midia mais, conta todos os detalhes)

Mega-assalto de Criciúma é assunto no The Guardian

Alguns chamam essas invasões de uma versão do cangaço do século 21 – gangues de bandidos ao estilo Robin Hood que vagavam pelo sertão nordestino no início do século passado sob a liderança de um lendário salteador chamado Lampião.

A organização do “novo cangaço” se deve em grande parte ao trabalho da organização criminosa mais poderosa do Brasil, o Primeiro Comando da Capital. (leia o texto integral de Tom Phillips)

Sérgio de Arruda Quintiliano Neto é acusado de subornar promotores no Paraguai

Duas canetas e uma quantia em dinheiro teria sido o valor pago pelo megatraficante Minotauro à dois Promotores de Justiça do Paraguai. (UOL Notícias)

Juiz Roger Augusto Bim Domega de Alta Floresta deixa a comarca

O jornal alto-florestense capricha em pintar o juiz Roger Augusto Bim Domega como o caçador de facciosos com frases como: “Considerado como motivo de “insônia” e até mesmo “pesadelo” para centenas de criminosos”.

O fato é que o magistrado deixará a comarca e, segundo o jornal: “Com certeza o mundo do crime em Alta Floresta e região norte está “em festa” com a perda sem precedentes que o município … [atuando até contra] até contra advogados que favoreciam o avanço de ações criminosas na região, além da atuação crescente de organizações criminosas como o Comando Vermelho – CV e o Primeiro Comando da Capital – PCC”. (na integra no Nativa News)

31 de novembro de 2020

PCCs comemoram a morte de Juliano Pereira, o JP, no CPA Gameleira no MS

Só o tempo dirá o que se esconde por trás do assassinato com doze tiros de 9mm de Juliano Pereira em frente a Colônia Prisional Agroindustrial de Gameleira. Sua morte foi comemorada por integrantes do Primeiro Comando da Capital sob os gritos de “opressor” e “tudo 3”.

“JP” foi um dos principais líderes do PCC atuando na fronteira do Paraguai e era o responsável pelo tráfico de cigarros e drogas para o Brasil e era parente de Jorge Rafaat Toumani — hoje sua posição é desconhecida.

Sua morte pode ser apenas um acerto de contas ou um sinal de que uma disputa pelo controle da fronteira. (as repórteres Anahi Zurutuza e Bruna Marques do Campo Grande News explicam passo a passo o que se passa por lá)

Para a repórter Tenata Portela do MidiaMax, a ordem para a morte de “JP” veio da cúpula do PCC MS que está determinou o assassinato de todos os homens ligados ao mundo do crime das famílias de Jorge Rafaat e Faad Jamil como estratégia para o controle da fronteira do Paraguai, e havia oferecido 10 mil reais por cabeça. (leia direto na fonte)

O repórter Hélio Freitas do Campo Grande News por sua vez conta como tudo começou: Riad Salem Oliveira, um jovem sobrinho de Faad Jamil, deu de desfilar com fuzil por Pedro Juan Caballero, e acabou entrando em atrito com um soldado do PCC atirou com a arma em seu braço e em outra ocasião empurrou durante uma festa outro soldado da facção. (leia a reportagem completa)

3 de julho de 2020

Paraguai: esquema movimentava 1,5 milhão de dólares por mês na região central

Estima-se que a empresa tenha movimentado cerca de 300.000 doses de cocaína, avaliadas em US $ 1.500.000 por mês. Os promotores de Justiça procuram desmantelar a maior rede de distribuição de cocaína no departamento Central do Paraguai, que operava através de torcidas organizadas do clube Sportivo Luqueño.

leia artigo completo no La Nacion

1º de julho de 2020

Conselho Consultivo de Segurança Externa do Departamento de Estado dos EUA

O Paraguai possui fronteiras porosas, particularmente ao longo da Área Tri-Fronteiriça Oriental (TBA) com o Brasil e a Argentina, através das quais as organizações criminosas traficam facilmente drogas, pessoas, contrabando e armas. Os centros populacionais do TBA incluem Ciudad del Este (Paraguai), Puerto Iguazú (Argentina) e Foz do Iguaçu (Brasil). Os visitantes da TBA devem permanecer especialmente vigilantes. Em 2019, as autoridades atribuíram o aumento da violência ao longo da fronteira Paraguai-Brasil entre Pedro Juan Caballero e Salto de Guairá à presença do Primeiro Comando da Capital (PCC) da gangue brasileira do crime organizado.

Os departamentos do Alto Paraná, Amambay, Canindeyú, San Pedro e Concepción continuam sofrendo a violência associada ao tráfico de entorpecentes. O Paraguai é um país de trânsito para a cocaína e o segundo maior produtor de maconha do hemisfério. Os traficantes de entorpecentes usam a violência para resolver questões entre grupos rivais; membros da quadrilha brasileira do crime organizado PCC operam em Pedro Juan Caballero (Amambay), Salto de Guairá (Canindeyú) e Ciudad del Este (Alto Paraná).

continue e leitura no site da OSAC

O Paraguai ocupa o 12º lugar no Índice de Corrupção devido às suas grandes economias ilícitas, incluindo lavagem de dinheiro, contrabando e tráfico de drogas, que agravam os problemas de instituições fracas. Segundo o relatório, a infiltração de cartéis de drogas em todas as esferas do governo torna improvável a perspectiva de melhoria no futuro próximo. O índice destaca a expansão das organizações criminosas brasileiras, principalmente o Primeiro Comando de Capital (PCC), no país como preocupação séria.

continue a leitura no site da InSight Crime

Obrigado por deixar seu relato, ele é muito importante para que eu possa corrigir erros e rumos. Só serão mantido os comentários argumentativos ou com conteúdo considerado relevante, seja apoiando ou refutando fatos ou ideias do texto. Se considerar importante alterarei o texto original citando o crédito para o comentarista.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.